Navio mercante Forte de São Felipe finalmente atraca no Porto da Alumar após seis dias encalhado na Baía de São Marcos.

O navio mercante brasileiro, Forte de São Felipe, finalmente chegou ao Porto da Alumar na noite da última quinta-feira (22), após ficar encalhado na Baía de São Marcos, em São Luís, por seis dias. A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Maranhão (CPMA), confirmou a informação.

De acordo com a Capitania dos Portos, o navio flutuou por cerca de 30 minutos antes da preamar, que é a maré de maior altura prevista para o dia. Após esse período, a embarcação demonstrou condições seguras de navegação e seguiu para a atracação no Porto da Alumar.

“A situação foi prontamente resolvida sem a necessidade de utilizar o plano de desencalhe apresentado pela empresa de assistência e salvamento”, afirmou a nota divulgada pela Capitania dos Portos.

No entanto, para que o navio Forte de São Felipe seja liberado para operação normal nos mares, a Sociedade Classificadora precisará realizar uma inspeção na embarcação e emitir um parecer confirmando que ela está em condições seguras para navegação.

Além disso, um Inquérito Administrativo está em andamento para investigar as causas do encalhe do navio Forte de São Felipe, o que temporariamente impede a continuidade de sua operação normal.

A situação do navio chamou a atenção de autoridades e especialistas, visto que o encalhe de embarcações é um problema recorrente e que pode trazer grandes prejuízos econômicos e ambientais.

O Forte de São Felipe, que possui 229 metros de comprimento, é uma peça fundamental para o transporte de mercadorias e a economia do Porto da Alumar. A chegada do navio ao porto foi motivo de alívio para a empresa proprietária e para os responsáveis pela movimentação de cargas na região. A expectativa é que, após a inspeção da Sociedade Classificadora, a embarcação retome suas operações habituais o mais rápido possível, contribuindo para o restabelecimento do fluxo de mercadorias e para a normalização das atividades no Porto da Alumar.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo