Estudo revela alterações epigenéticas no sistema imunológico de pacientes com Alzheimer, apontando para possíveis fatores de risco

Um novo estudo publicado na revista “Nature Aging” trouxe revelações importantes sobre a relação entre o sistema imunológico e o Alzheimer. Liderada por cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, a pesquisa identificou alterações epigenéticas nas células do sistema imunológico do sangue de pacientes com a doença. Essas alterações sugerem que fatores ambientais ou comportamentais podem influenciar o risco de desenvolver o Alzheimer.

O Dr. Fabiano de Abreu Agrela, membro da Society for Neuroscience, destacou a importância do estudo, afirmando que ele ajuda a entender melhor a relação entre o sistema imunológico e o Alzheimer. Segundo o Dr. Agrela, as alterações epigenéticas identificadas nos glóbulos brancos dos pacientes com Alzheimer podem ser um marcador da doença ou até mesmo um fator causal.

Mas afinal, o que são alterações epigenéticas? De acordo com o estudo, as alterações epigenéticas são modificações no DNA que não alteram a sequência de bases nitrogenadas, mas que podem influenciar a expressão de genes, ou seja, se um gene é ativado ou desativado.

E como essas alterações podem estar relacionadas ao Alzheimer? Os cientistas apontam que as alterações epigenéticas podem ser causadas por fatores ambientais, como a exposição a toxinas, estresse ou dieta. Estudos anteriores já haviam demonstrado que esses fatores podem aumentar o risco de Alzheimer.

Mas o que o estudo significa para o futuro da pesquisa do Alzheimer? Para os pesquisadores, o estudo abriu caminho para novas pesquisas sobre o papel do sistema imunológico na doença. Agora, eles podem investigar como as alterações epigenéticas afetam a função das células imunológicas e como elas contribuem para o desenvolvimento do Alzheimer.

Em resumo, este estudo traz importantes contribuições para a compreensão do Alzheimer, abrindo novas perspectivas para a pesquisa e potencialmente apontando para novas direções no desenvolvimento de estratégias de prevenção e tratamento da doença.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo