Isenção do imposto de renda para quem ganha até R$ 2.824 atinge 15,8 milhões de brasileiros a partir de 2024, estima Ministério da Fazenda.

A partir de fevereiro de 2024, uma nova medida do Ministério da Fazenda vai beneficiar milhões de brasileiros. A mudança no Imposto de Renda isentará pessoas com remuneração mensal de até R$ 2.824,00, o que atingirá cerca de 15,8 milhões de trabalhadores no país.

De acordo com o Ministério da Fazenda, a redução de receitas devido à isenção do imposto de renda será de mais de R$ 3 bilhões em 2024, R$ 3,53 bilhões em 2025 e R$ 3,77 bilhões em 2026. Essa alteração terá um alcance significativo para a população, como explica o contador Julio César Ferreira: “Essa medida beneficia, de forma indireta, todos os colaboradores com carteira assinada. E se a gente for avaliar, mesmo quem recebe mais do que dois salários mínimos será beneficiado. Isso porque o imposto de renda é progressivo, ou seja, ele vai por faixas”.

A mudança é vista como uma forma de trazer mais justiça social, já que todos os contribuintes do Imposto de Renda, direta ou indiretamente, serão beneficiados. Segundo a Receita Federal, 35 milhões de brasileiros serão impactados positivamente por essa mudança.

A atualização da tabela progressiva mensal do Imposto de Renda vai elevar o limite de aplicação da alíquota zero em 6,97%, passando de R$ 2.212,00 para R$ 2.259,20. Além disso, o desconto simplificado de R$ 564,80 também será aplicado para os contribuintes que recebem até R$ 2.824,00.

O especialista em direito tributário Guilherme Di Ferreira destaca o impacto da medida provisória 1.206: “O que estava em vigor seria os dois salários mínimos de 2023. E como em janeiro de 2024 a gente teve um aumento do salário mínimo, a legislação ficou defasada e não abrangia todos que ganham até dois salários mínimos. Então essa medida provisória veio como uma forma de urgência para abarcar quem ganha até dois salários mínimos”.

Com a medida, o governo espera garantir um alívio financeiro para milhões de trabalhadores brasileiros, promovendo uma distribuição mais justa dos recursos e beneficiando aqueles com salários mais baixos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo